Image Map

22 junho 2016

Por que me ausentei?


Olá, minhas meninas e meus meninos!


Espero que esteja tudo bem com vocês! ;)


Pois é...venho esclarecer por que preciso me ausentar agora do blog, que já faz um tempinho que não apareço aqui para postar nada, né? Me desculpem sumir sem explicar nada, mas estou aqui hoje para me redimir!

Bem, não é novidade que este ano tem sido bem difícil para mim e minha família, pois já relatei algumas passagens aqui no blog para vocês. Parece que quando decidi deixar o blog mais profissional, trocar layout, identidade visual, organizar melhor as coisas por aqui, o resto começou desandar de tal forma que vi tudo dando errado...

Desde fevereiro, tenho atravessado problemas de toda ordem que me abalaram muito, afetando até meu psicológico. Não escondo de ninguém porque, afinal, todos nós temos problemas e não sou diferente de ninguém. O que importa é que estou correndo atrás de me tratar direitinho - o tempo de tratamento ainda é por tempo indeterminado - e tentando consertar o que posso, retomando outras que são possíveis no momento, mas para me concentrar em melhorias, ter ideias para o blog parece que foi totalmente minado, bloqueado, me vi sem inspiração para o blog mesmo, fiquei desanimada demais...aí, minha mãe ficou doente também, passei muito susto com ela como também relatei a vocês tempos atrás...ela melhorou de alguns problemas e contraiu outros...Gente, minha vida tem sido uma batalha: tirei licença médica para me afastar de um ambiente de trabalho nocivo, minha mãe passando por dificuldades que ainda estou procurando tratamento adequado para o caso dela que é bem específico. Agora mais recentemente, uma dor no ombro direito me pegou de jeito que não conseguia mexer o braço e achei que era bursite, que tenho já há muitos anos, mas andava meio inativa. Porém, na consulta, a médica aventou a possibilidade de alguma lesão mais grave, da qual vou fazer exames ainda para constatar. E também por isso, apesar de tomar anti-inflamatórios e corticóides para o caso, tenho me poupado de esforços, inclusive de digitar, porque essa dor começou do nada. E antes que qualquer esforço - por menor que seja - faça piorar tudo, prefiro ficar quietinha e me poupar até saber melhor do que se trata.

Enfim, problemas de tudo que é ordem que me tiraram do foco do blog e por isso, não me vi com cabeça de criar conteúdo de nada, parei de postar até no Face e no Insta e não queria chegar aqui e postar qualquer besteira para dizer que o blog está em dia na base da porcaria, com conteúdo nada a ver.

Então, por conta de tudo isso acontecendo não sei quando devo voltar a postar no blog, se volto amanhã, semana que vem, mês que vem... De vez em quando devo aparecer pelo Face ou Instagram, mas não prometo nada porque não será frequente também, já que não tenho postagens agendadas mais. Na verdade, tenho ficado ausente da internet mesmo, por falta de tempo, por falta de vontade e tudo mais. 

Tem gente que vai gostar da minha sinceridade em dizer que não tenho pique agora para postar e tem quem não vai gostar, mas acho que devo sinceridade e vir aqui dar uma satisfação a vocês, acima de tudo. Não é nada com o blog nem com vocês, eu simplesmente preciso desse tempo, entendem? Para pensar, organizar, fazer mudanças necessárias para colocar em ordem outras e assim, aos poucos, vou dando rumo às coisas e o blog está incluso nisso também. Espero de verdade que entendam que preciso desse tempo e não se esqueçam de mim, pois não vou me esquecer de vocês!!!

Por isso, apesar de não saber quando volto, deixo o meu ATÉ BREVE e espero que vocês estejam e fiquem sempre bem. 


Um grande beijo e até mais!!!





03 junho 2016

Sexta-feira: dia mundial da felicidade. Será???



Olá, meninas e meninos!



Primeiramente, bom dia! E segundo, uma pergunta: você gosta demais deste dia da semana? Por que tanta ânsia que este dia chegue todas as semanas? 



Irei propor uma reflexão aqui, baseada num colega que critica tanto as pessoas por esse mesmo motivo, mas quando chega a sexta, comemora como se fosse ano novo...Como entender? É fácil. Primeiro, que ele se identifica com essas mesmas pessoas que critica, mas não tem a mesma habilidade em demonstrar porque o problema está mais ligado a ele do que às pessoas.  Além disso, se juntar a essas pessoas comemorando o dia mais feliz do mundo é tomar para ele que o mesmo que motiva àquelas pessoas, motiva a ele mesmo: uma vida frustrada. É, é isso mesmo!

Claro que você já respondeu várias vezes isso numa roda de amigos e em outras situações, eu também já fugi da resposta verdadeira - mas lá no fundo, lá no fundo, você sabe que não é só porque tem happy hour, não é porque no dia seguinte vai levantar mais tarde ou porque tem o sábado e domingo livres. Não é por isso. 

Pensa: você acha que para as pessoas ricas, por exemplo, que não precisam trabalhar nem pagar sapo pra ninguém, que tem a vida ganha, você acha que para elas a sexta-feira tem algum valor? Não. É um dia como outro qualquer, e sabe por quê? Porque elas vivem todos os dias, não levam a semana inteira empurrando a vida com a barriga no mesmo trabalho enfadonho, monótono ou estressante de sempre, com pessoas desestimulantes, naquela rotina chata de levantar cedo e pegar trânsito ou ônibus cheio para ir para o último lugar que gostaria de estar na face da Terra. Elas vivem todos os dias, não esperam chegar uma simples sexta-feira para se sentir melhor porque não vai ter a obrigação de fazer algo. E é aí que eu te peguei: você gosta da sexta (à noite, claro) porque é a partir desse horário que você se sente livre! No sábado você se sente livre, no domingo...bom, nem sempre. Principalmente, quando começam os gols do Fantástico, você já começa ficar meio deprê. rsrs O resto da semana, meu amigo, minha amiga, você não se sente pleno, não se sente livre: se sente escravizado. 

E isto está intimamente ligado à necessidade financeira, à importância tamanha que o dinheiro tem na vida de todo mundo sem exceção, por mais que você diga que não liga para o dinheiro, que não é materialista e tanta gente que adora dizer "que não é o mais importante". Mas você tem que trabalhar para ganhar a vida, não tem? Esse "tem que" já é muito mais pesado para carregar a semana toda do que parece. Vamos ser realistas agora: você vive num mundo onde o dinheiro manda em tudo: se você tem dinheiro, será melhor tratado, em todas as esferas. Quer um exemplo mais que certo? Você terá o melhor tratamento e os melhores médicos a sua disposição se ficar doente. "Ah, mas o dinheiro não compra saúde..." E a pobreza compra, por acaso?? O dinheiro não compra a morte, que vai chegar para todos, sem exceção. A saúde? Em muitos casos, ele compra sim, senhor. Você acha que seu parente que se trata pelo SUS tem a mesma chance de se curar de um carcinoma que o bacana que se trata no Albert Einstein? Não preciso responder, preciso? "Ah, mas o fulano que tinha dinheiro morreu..." Mais uma vez: aí, não se trata mais de comprar a saúde e, sim, a vida. Nenhum bilionário tem o poder de mandar a morte passar daqui 10 anos ou não passar nunca. Pode? Tem uma certa distinção do que as pessoas gostam de se enganar para justificar outras. Quando chegar a hora do mendigo ou do homem mais ricos do país baterem com as botas, nada vai dar jeito: nem dinheiro, nem rezar, nem igreja. Nada. Não se negocia com a morte. Tem uma frase que diz: "Exceto a morte, tudo pode ser desfeito e revigorado".

Mas, vamos voltar ao seu dia a dia: como é a sua semana, de segunda à quinta? Está satisfeito com sua rotina semanal, com seu trabalho, com os afazeres que têm em casa, com seu marido ou esposa, com seus filhos? Sim, temos que questionar, inclusive, a isto também. Será que você nasceu para ser dona de casa, mãe, esposa? E você, meu amigo, será que o ideal foi ter se casado e tido filhos, ter chamado para si essa responsabilidade? Bom, aí já é assunto para outro post. Mas, aqui tem um contexto também. E sua profissão, está contente com ela hoje, mesmo que a tenha escolhido há 10, 20 anos e suas perspectivas quanto a ela já não são mais as mesmas e não ganha o esperado e necessário? E seu trabalho: te proporciona tudo que precisa e deseja, trabalha com pessoas que valem a pena, que agregam valores na sua empresa e até no seu lado profissional? E seu marido, continua sendo a pessoa a quem jurou amor eterno, a relação vai bem? Ou você se arrependeu de ter casado, tem dias que não quer nem ir para casa, te caiu a ficha que a maternidade não é o que pensava, que errou ao escolher sua profissão seja lá por qual motivo e seu trabalho inferniza sua vida e por algum desses motivos, se refugia na sexta-feira como algum tipo de trégua da sua própria vida? Quais são as frustrações que te levam a amar o dia da semana que simboliza a fuga de tudo isso?

Desde que li uma frase "Não espere o fim de semana para ser feliz" tenho me questionado sobre vários aspectos. E olha, não é nada agradável muitas das conclusões das quais chegamos até de nós mesmos. É bem difícil até. E, talvez, seja por isto que muita gente nem quer pensar muito nos problemas e apenas se refugia em um dia ou dois para viver plenamente como gostaria para aguentar uma semana frustrante.

Porém, embora haja problemas que parecem insolúveis e situações que nunca vai poder se livrar, temos que pensar em dar um jeito, sim. Sempre. Por mais que pareça distante, e na maioria das vezes é mesmo mas, não somos impedidos de pensar em soluções, mesmo que custe tempo, dinheiro, organização, foco e mais outros fatores. É mais que provável que não vai conseguir resolver do jeito que quer todos os seus problemas porque pode ser que não dependa apenas de você quando o assunto envolve outras pessoas, mas podemos e devemos querer melhorar tudo. Não é fácil, mas não custa tentar sempre o melhor. Pensem nisso?


Beijos e até mais!

Ah...e boa sexta-feira! :)



Créditos: sextafeirasualinda.tumblr.com
















02 junho 2016

É fácil fechar parcerias para o blog?



Olá, meninas e meninos! Tudo bem?

E esta é a primeira postagem de junho, minha gente! Como o ano está voandooo...



Bem, recebi essa pergunta de várias pessoas no meu e-mail e até no inbox do Facebook de muuuita gente querendo saber como se fecha parcerias para o blog e resolvi fazer um post sobre isso. Vale lembrar que não tenho um parceiro fixo para o blog e vou explicar tudo certinho abaixo. Então, não sou habilitada em dizer como conseguir parcerias como tem gente achando por aí rsrs Quem me dera ser a rainha das parcerias!







Qual a diferença entre as formas de trabalho?


Parceria é quando por um certo tempo acordado entre as partes, anunciamos uma empresa em troca de produtos que pode também envolver ou não algum valor em reais para falar dela, fechando tantos posts por mês no blog e redes sociais ou da forma que melhor combinarem. Inclui banners fixos no blog também, por exemplo. 

Permuta é quando recebemos produto de uma empresa e falamos dela, fazemos resenha do produto e pronto. A empresa não se compromete em fazer envios futuramente. E nem a blogueira tem que ficar pedindo coisas também. A empresa já te conhece e, com certeza, vai acompanhar o crescimento do seu blog. Se ela quiser propor algo mais duradouro, seja por produtos ou outros tipos de propostas, futuramente pode te procurar. 

Publieditorial existe valor em dinheiro envolvido e acho abrangente, pois, geralmente, a empresa já manda através de uma equipe de marketing voltada para blogs, um texto pronto com foto do produto que ela quer anunciar ou lançar, paga à blogueira para simplesmente postar no blog como se fosse ela quem estivesse falando do produto, mas ao usar o marcador "publieditorial", sabemos que ela recebeu pagamento para fazer uma propaganda e não teve contato com o produto necessariamente. Mas tem o publi em que a blogueira escolhe o produto da loja que vai falar e recebe também em dinheiro. Ela não, simplesmente, recebeu um texto seco e dinheiro para anunciar no blog, ela teve a chance de falar do produto com propriedade, pois foi lá na loja e até tem chance de escolher produtos para divulgar. E tem ainda o que acho pertinente o termo "publiparceria" ( acho que nem existe esse termo), pois esse último trato é firmado por mais tempo, por tantas menções nas redes sociais e posts no blog por mês.

Um exemplo: uma blogueira bem famosa ano passado fez um publi apenas no blog sobre o lançamento de um carro. E dava para saber que não era o carro dela, as fotos eram muito bem trabalhadas em agências de propaganda, vinha um texto pronto e sem edição alguma (até porque a blogueira não pode editar), ela apenas estava fazendo uma propaganda ; A mesma blogueira faz publi com uma loja de departamentos já há um bom tempo onde ela faz vídeos e posts temáticos de dia das mães, dos pais, dia dos namorados, mas vai à loja, escolhe os looks e depois fotografa para redes sociais, a loja também usa as fotos dela. Uma vez por mês, pelo menos, ela fala da tal loja. E já teve loja que ela fez também publi que foi por apenas uma única vez. Talvez, porque o valor dela deve ser bem caro rsrs Um dia, quero ser como ela! hehehe

Então, até hoje, eu fechei permutas para o blog. Conseguir parcerias ou publi é bem mais difícil. E por que é mais difícil?

- Nem toda empresa se dispõe a fechar um acordo de parceria com blogs, principalmente os pequenos. Se conseguir, levante as mãos aos céus! Todo mundo batalha por isso, mas não é fácil. Então, quando a blogueira faz resenha e informa que recebeu produtos, as pessoas tendem a imaginar que tudo se trata de parceria.

- Nem toda empresa vale a pena: tem empresa que quer te propor afiliação com nome de parceria. Não! Afiliação nada tem a ver com parceria. Nós temos que saber bem o que é parceria, permuta, publieditorial, afiliação e afins. Sinceramente, ninguém precisa te procurar para conseguir afiliação. Tem várias lojas pela internet que fazem isso. Basta se cadastrar, pegar o banner e colocar no blog. Simples assim. As regras estão claras no site da loja e geralmente, você ganha de 5% a 15% em cada compra que fizerem através do seu blog.  A não ser que você queira um código para desconto aos seus leitores. Mas mesmo assim, é afiliação.

Não caia na conversa de "ah, minha empresa é pequena, não posso pagar nem oferecer produtos". Ok! Meu blog também é pequeno e não vivo de brisa. Propaganda grátis, ninguém faz. A gente também tem que saber se valorizar mesmo sendo pequeno ou nos fazem de trouxas. Não acredite na empresa que diz que depoooois vai te recompensar. Tá, depois vc entra em contato. Beleza?? Não adianta achar que fazendo isso depoooois a empresa vai te valorizar...pra quê? Você já faz de graça. Por que ela haveria de te pagar por isso? Então, pense muito bem antes. E isso chove, gente...chove gente assim que quer fazer esse tipo de "parceria" com você. Por isso que com afiliações, eu não trabalho de jeito nenhum. Tem que haver uma troca, pelo menos de produto por resenha. Como falar de uma loja ou produto que não conhece?

- Nem toda blogueira é séria também e queima o filme das demais: infelizmente, tem blogueira que enche o saco da empresa, fica cobrando se vai fechar parceria ou não e, pior, quando percebe que a empresa não tem interesse (às vezes, pela postura da blogueira), ela parte pra ignorância, manda desaforos...e claro, isso queima não só o filme dela como o das demais também. Eu já vi cada malcriação que menina por aí que vive fazendo que me deu vergonha. Não seja essa pessoa, pelo amor! Não me dê esse desgosto!

Preciso, obrigatoriamente, ter um mídia kit para conseguir uma permuta ou parceria?

Esses dias recebi de uma empresa que já é parceira de uma super blogueira e a proposta era de que eu enviasse o mídia kit todo baseado no Google Analytics e que eles, periodicamente, iriam analisar o tráfego do MEU BLOG pelo mesmo Analytics. Oi??? Em vez de eu fornecer os dados, eles queriam minha senha pra ficar fuçando ou fazer sei lá mais o quê? Eu lá vou entregar senha e tudo mais pra quem eu nem conheço, só porque anuncia com blogueira grande?? Obrigada mas, assim, quem não quer sou eu. Prefiro demorar a conseguir um parceiro decente, mas alguém de confiança. E mais: a "parceria" era uma afiliação, na verdade. Tá de brincadeira comigo, né? Vai com sua "parceria" pra lá!

Quando a empresa é profissional, é bacana, não quer te explorar, não vai pedir nada absurdo. É mais bonito falar sim ou não. 

Quanto a ter ou não o Midia Kit: nem todo mundo sabe fazer, nem todo mundo pode pagar e também não é garantia de absolutamente nada. Claro que é mais um item para profissionalizar o blog, mas não garante que você vai investir grana e conseguir alguma coisa..."ah, não consegui nada porque não tenho o mídia kit..." e aí você já esmorece. Tudo que ganhei até hoje foi sem mídia kit. E olha o exemplo que citei ainda há pouco. Só estou fazendo o meu, simplesmente, porque eu quero. Mas é o que eu disse: ter o mídia kit não quer dizer que te facilite algo em termos de parceria. É só mais um instrumento que profissionaliza na hora de mandar proposta para parceria, permuta ou o que for.

Estou aprendendo a fazer mídia kit agora e, espero, futuramente, fazer mídia kit como forma de outra atividade. Quem sabe, né? 

Sei que este é um assunto que envolve muita dúvida onde eu mesma sempre tenho várias e merece mais abordagem, até porque tem gente que condena algumas formas de trabalho então, mais para frente, pode ser que eu fale novamente sobre isso sendo mais específica , se vocês quiserem.

Mas, não se iludam com empresas grandes, nem com mídia kit, nem nada. Faça um e-mail bem escrito (sem erros de português, por favor!), objetivo, sem muita conversa fiada e deixe clara sua proposta que se tiver que rolar, vai rolar. Certo? Quem não tem cão, caça com gato. Nada de pressa para conseguir parceiro, porque essa pressa pode se transformar numa armadilha ou pegar uma tranqueira que só vai te trazer dor de cabeça. 


Beijos e até mais!


Créditos: bonequinha11.blogspot.com