Image Map

28 janeiro 2016

Desafio das Cartas - Uma carta para si mesmo no passado



E hoje começa o Desafio das Cartas . Para quem não leu o post de quinta passada onde eu explicava, esse desafio trata-se de escrever uma carta cada mês para alguém e nas últimas quintas-feiras do mês esta carta será aqui publicada. Então, fiquem de olho para quem serão as minhas cartinhas!

E a primeira delas referente ao mês de janeiro é: "uma carta para você mesmo no passado"

Muito interessante escrever uma carta para si mesmo, quando já se passou por tanto, quando já conhece tanto mais da vida que 10, 20 anos atrás...e minha carta é exatamente para a adolescente que deixei há 20 anos.


"São Paulo, 28 de janeiro de 2016

para São Paulo, 28 de janeiro de 1996


"Sabe, quero abrir-lhe os olhos para muita coisa já que cheguei até aqui. Coisas que se vc soubesse com a clareza e percepção que hoje tenho, o rumo de muitas coisas seriam totalmente diferentes, como seu medo de escolher profissão. O problema nem é escolher, é levar adiante. Você quer tanto cantar, mas o fato de nossos pais serem contra essa ideia pelo conflito de gerações, pelo conservadorismo, pelos preconceitos, por não saber lidar com vc e não te conhecer direito e nem você a eles. Você irá de encontro do que quer, vai tentar iniciar sua carreira, mas vai encontrar sim inúmeras dificuldades que te fazem pensar que, talvez, não seja uma boa escolha, que não é pra ser...mas deixa eu te tranquilizar de uma coisa: eles jamais te colocariam para fora de casa como vc acha, viu? Disto, eu posso te afirmar com certeza...do resto, já não sei. Você até pode viver em pé de guerra com eles, ir embora de casa por rebeldia, para ter mais liberdade nas escolhas, mas não deixariam na rua para passar dificuldades, muito menos nossa mãe, ironicamente a que mais vai se empenhar para enterrar seus sonhos. A adolescência é um mar revolto para todos, não é só para você. A diferença é que a atividade que quer seguir exige que seja mais persistente não só porque vai ter que se dedicar muito, mas pq não vai encontrar apoio de ninguém, o que te faz ter medo, ainda mais quando as dificuldades reais começam surgir...vergonhas que vão te fazer passar, ameaças veladas que hoje, sei que não teriam sido cumpridas. Você aí não conhece o que é blefe, mas é por causa dele que vai desistir de tudo. Mas eu te entendo. Vc não tem como saber, não vai ter essa clareza tbm porque, claro, pra mim hoje é fácil falar, eu já sei...porque tenho mais clareza de pensamentos e de raciocínio em longo tempo de aprendizado como conhecer as pessoas e do que elas são capazes mesmo de fazer. Eu sei que vc já foi impedida de ser modelo há 4 anos porque dependia estritamente de responsáveis para permitir, até onde pôde ir sozinha, vc foi. Admiro essa sua determinação e impetuosidade! E arrumou muita briga por causa disso! "Como vc foi pra Vila Mariana sozinha, menina? Vc tá louca! Vc não atravessa nem a rua sozinha! Vc podia ter morrido, vc podia ter sido sequestrada, onde conheceu esse homem que te prometeu emprego? Isso é tudo mentira! Ele quer fazer maldade com vc" Essas coisas que ouviu também afetará suas decisões. Hoje em dia, já não tenho essa impetuosidade sua, não só por conta do que vai acontecendo na vida, mas o ser humano muda muito...Claro que vai seguir com a vida como todo mundo faz, mas sem a mesma graça e esperança que tem agora que pensa na sua maior paixão e no seu sonho de ir embora, de descobrir o mundo por seus próprios pés...Vc sempre quis ser independente desde 11, 12 anos....mas essa redoma que te envolveram não será nada fácil se livrar. Mas eu gostaria de te pedir: lute por isso como se fosse pela sua vida! Vc ainda não tem noção do quanto isso é importante! Vc pode mas, intimamente, também não vai se achar capaz. E assim, vai seguir a vida mais triste, desistindo de ser quem vc quer ser, não se reconhecendo muitas vezes, e se verá obrigada pelas circunstâncias da vida adulta a trabalhar como todo mundo faz para ganhar seu dinheiro, mesmo que seja fazendo o que não gosta, mas o que é minimamente rentável.

Tem algum lado bom nisso? Passar por certas coisas nos faz mais fortes. Mas nos anos seguintes, os altos e baixos profissionais vão te fazer pensar que escolheu tudo errado e está pagando pelas escolhas erradas como se fosse uma penitência...como se não fosse penitência suficiente não ser feliz no que faz! Mas de nada vai te ajudar pensar dessa forma aqui hoje. O que for feito, estará feito. 

O que quero dizer com tudo isso? Quero te alertar dos seus sentimentos em relação às decisões que vc tem que tomar aí e que vai levar pra vida toda. Você tem uma responsabilidade enorme nas mãos, mas ainda não sabe disso. Quem sabe vc sabendo que o arrependimento vai te acompanhar, dará outro rumo para tudo isso. Se tomar as mesmas decisões, tudo bem, mas agora estando ciente do que vai ser o futuro. Não, vc não vai se acostumar e gostar do que vai fazer para se sustentar. Isso é ilusão. Hoje, na minha sabedoria de uma mulher de mais de 30 anos, sei que vc não deveria ter desistido. Eu sei, vc não tinha grana para investir em estudar, quando conseguiu ganhar dinheiro não era suficiente para estudar e que em vez de ter ajuda teve que trabalhar para ajudar, vc não sabia como fazer, vc se viu totalmente perdida e sozinha...talvez mesmo hoje eu não saberia como fazer pq quando se quer muito uma coisa a emoção nos faz perder várias vezes o raciocínio lógico, tão imprescindível para resolver questões práticas, mas a época de ter batalhado, ter feito acontecer já passou. Cada coisa tem sua hora e a hora de ter começado investir e traçar seu futuro de acordo com o seu sonho era aí onde vc está. Agora, é tarde para muitas coisas, as responsabilidades são cada vez maiores, as preocupações também, coisas que ai vc nem sabia que existiam e podia trabalhar numa coisa só sua com calma, sem pensar em mais nada. Só em como lidar com nossos pais, que já era tarefa suficiente. Se vc soubesse que vai mudar tanto de personalidade e até sua a postura com eles...talvez, se agisse como eu aqui ajo, teria sabido lidar com eles direitinho...MAS hoje tenho esse benefício porque eu ganho minha vida, posso fazer as coisas do meu jeito e aí vc anda não sabe nem para onde se virar. Eu queria poder me transportar para aí e te pegar pela mão para juntas fazermos o melhor por nós, juntar seu sonho, sua determinação, sua garra com minha praticidade e experiência. No futuro, tudo é mais difícil, sabe? A vida adulta é demasiada complicada em vários fatores. Um dia vc vai entender...mas se pudesse compreender o que digo, se pudesse me ouvir para te ajudar o que tiver que ser feito eu hoje seria muito mais feliz e estaríamos juntas até hoje. Vc se perdeu no tempo e precisei me reinventar. Você faz falta aqui comigo, mas já não sei se tenho direito de lamentar. "


E a quem ler esta carta que escrevi a mim mesma, tenha vc 16, 18, 20 anos deixo um conselho precioso que é provável que nunca vai escutar de seus pais: Nunca desista do que faz seu coração bater mais forte porque é o que vai te manter vivo, é o que vai te fazer pulsar, o que te mover a sempre buscar seu melhor. Enterrar ou desistir de sonhos é a pior coisa que se pode fazer por si mesmo, vc morre um pouco junto. Cada coisa tem seu tempo, sim e pensar que se tem a vida toda para fazer algo que não fez enquanto mais jovem é uma tremenda utopia, porque vc muda, haverão coisas q vc teria mais coragem, mais facilidade, mais disposição, seria mais capaz de enfrentar quando tinha 15, 20 anos e depois com o curso da vida, responsabilidades, trabalho formal, casamento, filhos, dificuldades...tudo é mais difícil. Tudo! Porque vai ponderar muitas outras coisas em jogo hoje do que quando se é muito jovem não tem para pensar. Então, se quer muito algo hoje, faça hoje. Porque o amanhã não vai te esperar.

Com essa minha carta quero deixar um alerta de como se começa a insatisfação e a infelicidade consigo mesmo. Começam em coisas que vc acha que vai superar, mas não supera. E aí as pequenas insatisfações vão se juntando às maiores e quando se der conta, tudo já se perdeu, talvez, pra vida toda.


Um beijo no <3 e até mais.