Image Map

10 agosto 2015

Odeio o meu trabalho, mas tenho contas a pagar. E agora?


Olá, pessoal! Tudo bem?


Eu já estava programando este post há vários dias e nem sabia se iria publicá-lo porque o assunto é meio chatinho, porém, pertinente porque trata de algo que todo mundo já sentiu, está sentindo ou vai sentir, com raríssimas exceções: a frustração profissional.





Tenho lido muito a respeito e visto que muita gente está nessa situação: infeliz, frustrado, sem perspectiva de melhora ou progresso, desmotivado, desesperançado, até desesperado em acordar e ir para "aquele inferno" de novo, de novo e de novo. Pra completar, você se sacrifica a esse ponto para ganhar uma ninharia e se sente se vendendo por nada, acabando com a sua saúde, com seu mental, psicológico e o cansaço físico parece não acabar mais, mesmo se dormir 12 horas. E por que sei disso? Por que tenho lido a respeito do assunto? Não, é porque também estou neste barco! Pensamos que somos só nós a passar por isto, mas é absurdo o número de pessoas que estão infelizes com o próprio trabalho. Só não sei se tem gente mais infeliz com o trabalho ou com o casamento rsrsrs Brincadeirinha para relaxar pq o assunto é chato, né? 

Digo por mim como é horrível a sensação de estar presa a algo que não gosta mais, mas precisa dela. Aquela coisa: "ruim com ele, pior sem ele"; "é um mal necessário"; "eu tenho que ir, tenho que fazer" Esse "tenho que" já é motivo pra gente se sentir mal, não é verdade? Num certo tempo e até um determinado momento, tudo parece caminhar bem até que as coisas vão mudando e você começa odiar o chefe por conta de pequenos desmandos e desvairios. Dali a pouco, não é mais só o chefe, mas a empresa, o trajeto para chegar até lá, toma bronca de todo assunto relacionado àquele lugar e até os colegas que gosta já tem a plena certeza que passaria a vida toda sem vê-los e não sentiria falta deles nem por uma fração de segundo. Tudo porque eles te lembram esse lugar que hoje detesta. E nem sempre isso é verdade, pois sempre há colegas que gostamos e gostaríamos que a amizade fosse duradoura, mas tomado por sentimentos ruins em relação ao trabalho, eles acabam fazendo parte da coisa toda de forma negativa.




Tirei uns dias de férias e, embora eu estava descansando, cuidando da minha casa, aproveitando para me divertir, trabalhando no blog que é o que gosto de fazer hoje, posso dizer que não consegui aproveitar os dias de folga sofrendo por antecipação porque "dia tal vou ter que voltar". É pulsante a sensação de medo e desespero até em ter que voltar para um lugar que sente como o seu fim. Parece que está indo pro abate. 

Aí você pergunta: Tá bom, Di...eu também não gosto mais do meu trabalho e tudo que se relaciona a ele. Mas, então, o que eu faço para  me livrar desse fardo? Chuto o balde e peço as contas? Mando todos ali pros quintos dos infernos?

Embora eu já tenha tido essa vontade milhões de vezes nos últimos tempos, tenho me aguentado porque o pagamento das minhas contas não vão esperar eu resolver minha crise profissional e conseguir coisa melhor. Além disso, é dali que tiro meu sustento e adquiro o que quero e preciso. Precisamos ser o mais racionais possíveis e suportar essas adversidades até que consiga vislumbrar uma maneira de sair correndo dali sem que deixar os compromissos ao deus-dará. A não ser que tenha um pai ou o marido que te banque até encontrar opção melhor, é recomendável que aguente o tranco! 

Eu sei, tem dias que a gente leva mais de boa, até ri da situação...mas vai ter dias que vai ter vontade de matar todo mundo ali e não vai poder. Isso que é o pior! kkkkkk Vamos ter que conseguir administrar os altos e baixos até que dê pra enxergar uma luzinha no fim do túnel.

Não vou querer atenuar a merda toda e vir aqui dizer: "ah, se distraia com o que te dá prazer nas horas vagas", "ah, tente mudar de atividade", "tente fazer do seu trabalho uma coisa prazerosa", tente isso, tente aquilo..." porque eu sei que não vai adiantar! Não vou ser hipócrita e querer insinuar que sua vida vai melhorar só tentou mudar o pensamento sendo que o que está em volta não mudou.




O máximo que pode fazer agora é respirar fundo, levantar com a cara e, principalmente, coragem para encarar mais um dia massante, mas sempre se repetindo que vc depende daquilo para sobreviver e que, possivelmente, também poderá fazer daquilo uma ponte para seu próximo emprego ou atividade.

Por exemplo, já que estou com ideia fixa de levar o blog a sério. Tem dias que nem consigo entrar aqui e isso me aborrece, mas por outro lado eu tenho que lembrar sempre que se não fosse o meu emprego eu sequer teria material para trabalhar no blog e trazer matérias para ele, nem poderia publicar nada aqui pq não teria ferramenta para isto. Eu sei que terá dias que nem isso será suficiente para manter o foco pq o desânimo vai parecer infinitamente maior que sua determinação e muitos dias ele vai te vencer, mas não poderá vencer todos os dias. E é nesses dias que vai levar a melhor, trabalhará não só suas ideias, mas colocar em prática seus planos para conseguir algo melhor. 

Tem gente que joga tudo para o alto e (desculpem o palavrão) foda-se? Tem. Tá cheio por aí. Eu mesma conheço alguns. Mas depois do alívio imenso que essa atitude vai te proporcionar, quando chegar o primeiro boleto bancário para pagar, como vai se sentir? E se ficar desempregado por bons meses ou até anos, como vai ser? Aí obrigatoriamente vai ter que ponderar: o emprego aí fora não tá fácil. Será que eu tenho condições de concorrer com gente que tem trocentas faculdades, sei lá quantas pós e mestrados, doutorados e fala 5 idiomas? As empresas estão cada vez mais exigentes para oferecer o mínimo e não tenha dúvidas que conseguem profissionais gabaritados para pagar bem menos do que merecem porque esta é a realidade do país, infelizmente. E se estiver desatualizado do mercado de trabalho, esquece. Vai fazer uma burrada das grandes e é certo que vai refletir no resto da sua vida e até dos que estão a sua volta.

Liste todas as dívidas que tem, além das despesas normais do mês. Se tiver um aluguel ou prestação de uma casa, é melhor pensar 10000 vezes antes de chutar o balde e mandar todo mundo pra PQP.




Sabe, admiro quem tem coragem para jogar tudo para o alto e se mandar de um lugar que não faz mais bem, se livrar de um chefe desgraçado, mas precisa ter uma coragem absurda também para segurar as pontas aguentando tudo do jeito que sabe que vai perdurar e sem o mínimo de perspectiva positiva. Além do que, já vi gente se dar bem, tinha respaldo de alguém por trás para sustentar a pessoa ou até ela se dar ao luxo de não trabalhar mais, mas já vi gente se ferrar feio e depois não arrumar emprego, mesmo sendo formado, mesmo sendo capacitado, inteligente e tudo mais. 

Se conseguir logo uma opção viável que te traga mais prazer, talvez nem seja tão rentável, mas se te der algum prazer,vai se sentir mais leve, menos oprimido, aí já está um bom começo para ser bem sucedido, mas não tem como só fazer o que se quer sem que essa atividade te dê algum retorno, porque neste mundo se não tem dinheiro nem para pagar suas contas, você não é nada, prejudica a convivência com sua família, amigos e não consegue dormir direito mais na vida. Perde até sua dignidade. E ninguém quer passar por isso.

Então, embora seja dificílimo, aguente o tranco para manter o que tem hoje e organize seus planos, idealize o que pretende, vá trabalhando suas ideias e colocando-as em prática sempre que possível, mesmo que aos poucos, até que consiga sair dessa roubada que é seu atual trabalho. E enquanto precisar dele e quando esmorecer, repita-se sempre que é dele que vc se sustenta e consegue tudo o que precisa até agora, mesmo que em dificuldades, mas que se não fosse ele, não conseguiria nada.




Foque no seu objetivo de uma alternativa melhor, se quiser se preparar mais volte a estudar. Tem muitas opções na internet mesmo para se instruir, se informar, cursos gratuitos em diversas áreas, etc. O importante é não perder o foco apesar da situação toda e não parar nunca, mesmo que tenha dias que vai desanimar e não queira fazer nada. Nossa sorte é que o humor muda de um dia para o outro muitas vezes e vai ganhar gás novo. Nesse meio tempo, é necessário tentar se divertir, conversar com amigos, com a família...não guarde suas angústias só para si porque te fará muito mal. Ah, e mais importante ainda: não mate ninguém! rsrsrs 

É muito importante que não desistamos da nossa felicidade profissional poque as coisas não vão bem e tachar que vai ser sempre assim. Não! Você tem direito e deve tentar de tudo para que esse quadro mude, seja dentro da área q já atua ou se deseja mudar totalmente o que faz. O importante é não desistir de ser feliz!!!

E estou torcendo para que consiga sair dessa, assim como torço para que meus dias também sejam infinitamente melhores!









Créditos: marthalobo.com.br/ mensagenscomamor.com/ mdemulher.abril.com.br/ revistadigital.com.br/ heat.com.br/ support.skype.com/ emoticonsparaface.com