Image Map

22 fevereiro 2019

Esmaltes DOTE proporcionam efeitos salpicados às unhas


Oi, pessoal!!!


Quem não gosta de uma novidade, né? E novidade de esmaltes fazem a gente correr para a primeira perfumaria e querer a linha todinha! Pelo menos, a louca dos esmaltes aqui é assim! :)








Dote apresenta a Coleção Efeito Salpicado, composta de seis esmaltes com cores inspiradas no universo da moda e fazem uma releitura das estampas de animais que são tendência das grandes marcas européias e também no Brasil.
As partículas pretas presentes nos esmaltes proporcionam efeitos salpicados e combinam com outros tons. Entre as cores da coleção estão: Oncinha (dourado), Joaninha (vermelho), Borboleta (azul), Zebra (cinza), Abelha (verde) e Libélula (lilás).
Os esmaltes DOTE possuem longa duração, brilho natural e secagem rápida, além de pigmentos isentos de chumbo, pincel flat, que facilita a aplicação, e embalagem de 9ml, com design totalmente inovador e exclusivo.
Preço médio: R$ 3,50 (cada)

Para você que quer ter a marca DOTE no seu comércio, entre em contato com a Distribuidora Rogemar, que é distribuidora exclusiva da marca. 
Para consumidoras como eu, podemos encontrar a DOTE em farmácias, drogarias, perfumarias e supermercados. Mas tem dúvidas ou quer saber mais? Entre em contato!

 SAC (19) 3886-2272 ou (19) 3886-4378 
 e-mail: contato@rogemar.com.br
           www.rogemar.com.br.

 Super beijo e até mais!

21 fevereiro 2019

Collabs e parcerias do blog





Oi, pessoal!

Passando aqui para avisar que, aos poucos, vou retomando as postagens aqui no blog e, daqui um tempo, não sei quando, devo reativar o canal no You Tube.

Aqui no blog, teremos posts de parceiros e collabs nas próximas semanas, com dicas diversas, claro, sem deixar o assunto beleza de lado. Enquanto isso, vou me organizando para soltar as resenhas de muuuuitos produtos para vocês. Algumas estão atrasadas, eu sei, mas devido às circunstâncias...enfim...mas, aos poucos, vou começar organizar as coisas por aqui. Uma novidade que quero compartilhar com vocês é uma parceria que estou gostando muito e que vocês também vão gostar é com a Salon Line, que é uma empresa que todo mundo conhece por ser ética, competente e que não entende só de beleza, mas também de sustentabilidade e compromisso com suas consumidoras. E consumidores, claro! 

Espero que aproveitem muito e gostem das novidades que estão para surgir por aqui.


Grande beijo e até mais.



Créditos: https://www.tadah.com.br

20 fevereiro 2019

Como é lidar com o luto?






Não sei porque estou hoje escrevendo aqui. Acho que está mais servindo para eu desabafar do que para tentar passar algo para alguém. O luto é uma experiência individual, porque cada um encara de forma diferente. 

Muita gente diz que tudo tem algo a nos ensinar, mas não vejo o que o luto pode ensinar a algo a  alguém quando só o que se conhece é dor e tristeza. 

Posso dizer que tenho vivido uma realidade paralela,  algo um tanto surreal mas que sei o que está acontecendo e não estou sabendo digerir, onde tudo está fora do lugar e não sei como organizar...ou melhor, não tem como organizar-se depois de um golpe desses. Acho que, talvez...eu disse, talvez...um dia, eu me "acostume" com o fato de não ter mais minha mãe, de conviver com essa tristeza e peito constantemente apertado, com essa saudade que machuca porque sei que nunca mais vou vê-la - alguém que era tão presente e de importância única na minha vida que, de repente, não existe mais. Talvez, um dia, eu me acostume a viver com tamanho desconforto, com tamanha ausência e tristeza. Me sinto como no primeiro dia de aula do pré, que vi minha mãe ir embora depois de me deixar no pátio, com todo cuidado porque ela também não queria me deixar...e eu caí no berreiro porque queria ficar com ela, gritava em bons pulmões "EU QUERO A MINHA MÃE!" Chorei a tarde toda aquele dia, me senti abandonada. Nenhuma outra criança chorou, muito menos deu o "show" que eu dei. E todas me olhavam sem entender. A professora do pré até tentou interagir comigo, mas eu não queria falar com ninguém e fiquei debruçada na mesa o tempo todo, triste. Me sinto de novo exatamente assim.

Minha visão da morte hoje é um tanto diferente. É fácil falar que a morte é algo "normal" enquanto ninguém tão próximo se vai; é fácil dizer que essa é a "única certeza que temos" sem que isso esteja carregado de sentimento ruim. A visão que tenho hoje é muito mais sombria, acho que sinto o medo que minha mãe sentia por ter medo de morrer. A morte hoje me é pavorosa. Não em relação à minha própria morte, porque sei que um dia vou morrer mesmo, mas isso não me assusta, mas a morte das pessoas próximas hoje me parece um calvário sem fim e sei que só pode trazer sofrimento, angústia, dor...uma solidão que até então eu desconhecia que existia, o pior lado da solidão. "Mas não existe lado bom na solidão!" Sim, existe. Mas não é a solidão de quem perdeu alguém tão amado. Solidão boa é aquela que você precisa de um tempo para ficar só com você mesmo, para pensar, ter um tempo para você, um day spa, exercitar um hobby, assistir seu programa favorito na TV, não estar a fim de fazer nada. Quantas vezes me vali da solidão para me sentir bem. Mas...agora é muito diferente. Esse lado da solidão não queria nunca saber como é e fui obrigada a conhecer.

"Como é lidar com o luto?" 

Quem disse que eu sei como? O que posso traduzir é que todos os dias eu acordo com vontade de não ter acordado mais, de que minha mãe tivesse me levado de corpo também junto com ela - porque, alma, se existe, se foi no dia em que ela me deixou - é chorar boas horas do dia com um pesar absurdo, é sentir o peito apertado constantemente, é sentir que a dor da perda pode ser física também - sinto dor no peito até hoje desde o dia que ela se foi - é se sentir que tudo está fora de ordem, que tudo ao redor não será nunca mais a mesma coisa, é conviver com uma ausência sem fim - como se parte de seu próprio ser tivesse sido arrancada - é conviver com uma casa triste, com os objetos da pessoa e as coisas que ela gostava por todo lado, é ter lembranças de uma vida inteira e ter que se contentar de ainda ter essas boas lembranças porque é o que restou. É conviver com o fato de que a vida se esvai de um minuto para o outro e traz consequências para o resto dos dias de quem fica. E não tem como se preparar de antemão para isto. A dor é inimaginável e imensurável. 

Estou tentando viver, ou melhor, sobreviver...mas só quem passa ou já perdeu seu ente querido há algum tempo pode calcular como isso é penoso e difícil. 

11 fevereiro 2019

LUTO





Oi, pessoal.

Espero que esteja tudo bem com vocês.

Comigo, as coisas não estão nada bem. 

Estou escrevendo hoje aqui porque pessoas têm me procurado, principalmente por e-mail, há vários dias e preciso deixar explicado aqui também o que está me acontecendo.

Quem passa pelo blog e minhas redes sociais percebeu que assim que fiquei doente no ano passado, eu dei uma sumida, depois tentei retomar minhas atividades, embora não estava ainda normalmente e aí, minha mãe ficou doente. O fato é que em decorrência de várias complicações, minha mãezinha acabou falecendo há poucos dias. Não tenho condições agora de tocar o blog, nem canal, nem redes sociais, nem minha própria vida. Não sei quando vou conseguir voltar. Tenho alguns trabalhos para postar, principalmente aqui e nas redes sociais, tem ainda produtos chegando aqui em casa - que vou honrar com resenhas e postar nas redes sociais, sim - pois são frutos de parcerias com empresas das quais estimo muito, mas ainda não tenho como pensar em qual destino darei ao blog/canal, se vou continuar ou não. Não sei de nada agora, só que esse golpe foi o pior coisa que poderia ter me acontecido na vida. 

Eu devo essa explicação a todos que vêm aqui para ler e não encontram mais posts novos, às empresas que têm entrado em contato comigo, principalmente via e-mail, às pessoas que já sabem e me enviaram apoio pelo Instagram...enfim. Eu devo isso a vocês e agradeço o apoio que recebi até agora, mas tudo agora é muito incerto para mim, para minha vida. Eu não sei de absolutamente nada neste momento e não sei quando nem como isso um dia vai melhorar, quem dirá pensar em blog. Está sendo insuportável acordar e enfrentar mais um dia sem minha mãe amada. Ela não era só minha mãe, ela era meu mundo. 

Mãe, a pior coisa que podia ter me acontecido era a senhora me deixar. A senhora não é só minha mãe: a senhora é meu mundo. Eu não sei como continuar agora. Como é doloroso acordar todos os dias sabendo que não vou te ver mais, beijar sua testa para dar boa noite, não vamos mais andar para todo lado juntas como dois grudinhos. Tão doloroso que na maior parte das vezes, desejo não ter acordado mais e queria ter ido junto de corpo também, porque minha alma a senhora já levou junto consigo.

Sem mais.



17 outubro 2018

Que tipo de calça usar: cintura alta ou baixa?


Olá, pessoal! Tudo bem?


Que tipo de calças costumam usar: cintura alta ou baixa? São sobre modelos de calças que podem nos ajudar a ter um corpo mais bem modelado e bonito que vamos falar. E não estou falando na hora de vestir mas, principalmente, quando tiramos a calça.






Desde que saíram as calças de cós baixo ou cintura baixa já nos anos 90, usei e abusei delas. Sempre fui muito magrela e sentia que só com uso delas que eu tinha um pouquinho de corpo para mostrar. Detestava calças de cós alto porque associava às calças dos anos 80, que eram chamadas popularmente de calças bag e achava simplesmente ridículo! kkkkkkk Podia ter o corpo mais bonito que naquelas calças não ia aparecer, pelo contrário. Como odiei certas coisas dos anos 80...E olha que amo aquela década! Embora existam inúmeras referências hoje, em termos de moda acho que os anos 80 ( juntamente com os anos 70 )  foi um tremendo fiasco: calça bag, brincos de plástico coloridos com formatos variados até de chiclete, maquiagem gritante, os famigerados collants coloridérrimos (hahaha), rosa shock, polaina, mangas bufantes e... AFF! A lista da vergonha é imensa! Vão vendo essas pérolas lá no Google e vejam se não tenho razão. E muitas daquelas coisas euzinha aqui usei! Ai que micoooo! hehehehe Ainda bem que não tenho foto dessa vergonha!





Porém, os malefícios da calça baixa foram aparecendo ao longo dos anos e do uso contínuo, coisa que a horrível calça bag não tinha como efeito colateral: a deformação do corpo. De uns tempos para cá, fui percebendo que meu quadril estava estranho, "achatando" da cintura para baixo. Depois, estava criando flancos. É! Aquela gordurinha horrorosa do lado da barriga! Depois e derradeiramente, vulgo pochete (ah, outra invenção dos anos 80! hahaha) ou a temida barriguinha! Finalmente, caiu a ficha da pessoa aqui de que estava usando roupas inadequadas para o meu corpo (aliás, para o corpo de qualquer mortal) e comecei comprar calças de cós médio. Demorei para prestar atenção no meu próprio corpo, que estava perdendo a forma natural completamente; fui perdendo até minha cinturinha que sempre foi bem fininha, ao longo desses anos todos. Aliás, acho que demorei a perceber porque sempre fui muito magrinha e não ligava nem um pouco para isso. Enquanto todo mundo reclamava da bendita calça que deformava, eu não estava nem aí sem perceber o que estava fazendo comigo. Mas o tempo passa, né? E nosso corpo não será sempre o mesmo. 




Hoje, percebo o quanto minha desatenção foi prejudicial. Porém, calça de cintura baixa nunca mais na minha vida! Até porque não tenho mais corpo para isto: tem que ter barriga chapadíssima (que eu não tenho mais! buááááa), não ter flancos (mais buáááááá) nem qualquer tipo de gordurinha afrontosa. Aliás, meninas, nunca na vida usem essa desgraça! Desculpa quem usa e gosta (eu já gostei e me saiu caro!). O problema não é usar de vez em quando calças desse modelo: é fazer uso diário, sempre, constantemente. De vez em quando se for sair à noite, for à uma balada e quer vestir um look mais moderno,beleza! Se joga! Mas usar todos os dias para ir para escola, trabalhar (aliás, ambiente de trabalho não se usa calça assim DE JEITO NENHUM!), pra ir na feira, no mercado, andar até dentro de casa...aí não, amiga! Você, menina novinha, magrela como sempre fui, que nada se abala hoje no seu corpo porque tudo está em cima, tudo certinho no lugar, não se engane: tem roupas que podem acabar com seu corpinho mesmo sendo magrinho, sim! Ao longo do tempo, vai acabar com seu corpinho lindo sem você perceber.

A minha sorte é que ainda percebi há tempo porque minha estrutura sempre foi magra, mas percebi umas "coisinhas a mais em lugar errado". Além do que, a grande maioria das mulheres não tem compleição física magérrima, são mulheres que tem mais corpo, o que favorece muitas vezes no ganho de peso e, pior, nas gordurinhas indesejáveis e, aí...quando ver já é tarde demais, não só porque usou modelos de roupas errados, mas porque engordaram demais. E aí, minha filha, se sua genética não te favorecer...sinto lhe informar, mas tem coisas que só cirurgicamente para dar jeito.

Então, minhas queridas, evitem ao máximo usar calça de cós/cintura baixa. Não é porque você é magérrima que pode abusar. Pode voltar a ser moda, todo mundo usar, ser modelito principal da mocinha da novela, a supermodel bacanuda apareceu na Fashion Week sei lá de onde mostrando como é tendência absoluta mundial, nas galáxias...NÃO USE ou terá seu corpo estragado e vai levar muito tempo para recuperar algo que lembre o que era. Além do mais, são calças que, geralmente, são muito coladas ao corpo e ainda possuem stratch, que cola no corpo feito Super Bonder, causando também a "cretina" das celulite! Mal pior não há! Claro que outros fatores como alimentação, refrigerantes e tudo que já sabemos também causa, mas calças apertadas contribuem e muito para essa "disgraça" aparecer!

Gordinha, você não pode usar esse tipo de calça DE JEITO NENHUM!!! Desculpe, mas é para seu bem. Segure tudo aí bem firme dentro de qualquer calça de cós alto. Escolha modelos que te favorecem não que evidenciem o que você não quer mostrar. E cá para nós, ter o corpo desgraçado por esse tipo de calça para você é bem mais danoso e muito mais rápido do que para as magras e demora muito mais para perder os "defeitos" que apareceram, pois já tem dificuldade de queimar gordura.

Essa regra é válida também para as calcinhas, tá? Aliás já até fiz um post falando sobre esse assunto e é válido dar uma conferida. ;)

Quero ainda trazer um post ou quem sabe em vídeo sobre calças que uso hoje em dia, seja jeans ou outros tecidos e modelos, que são confortáveis e não corremos esse tipo de risco. 

Repensem suas roupas, se elas são mesmo bacanas com seu corpo,  se realmente favorecem seu formato de corpo e, principalmente se não vão lhe causar nenhum problema ou desconforto futuramente, tá? Conselho de amiga!!


Um beijo grande e até a próxima!






Créditos:https://www.enjoei.com.br/p/calca-cos-alto-boca-de-sino-13143449- https://br.pinterest.com/pin/426012445981325753/ /  https://media.giphy.com/media/3o6gEfIiAQgbDUyg5W/giphy.gif / https://www.mundodastribos.com/cos-baixo-saiba-como-usar.html